IEED - Irmandade Espiritual Estrela D'Alva

Templo Filhos de S.S. Deusa Lunar

Category: Sem categoria (page 1 of 8)

O Natal

nasc-jesus

O Natal é a data religiosa mais conhecida e celebrada da cultura ocidental, mas é presente em diversas religiões originárias de várias partes do mundo. Apesar de às vezes ser deixado em segundo plano por algumas pessoas, o real significado do Natal é único nas crenças que o adotam: a comemoração do nascimento de Jesus Cristo. Partindo desse significado, o Natal traz uma simbologia enorme, pois comemora a vida. Continue reading

Carta ao Iluminado Ogum Megê

Segue o texto elaborado pela Aspirante Aparecida Paglarin, da IEED – SP, que foi lido na cerimônia em homenagem a São Jorge, nos dias 23 e 24 de abril. Nas palavras da Aspirante, esse texto retrata muito dos sentimentos de todos em relação ao nosso guia mestre da Umbanda, Ogum Megê.

Ela ainda aproveita para fazer um agradecimento especial ao Reverendo Sérgio Rangel pela direção de todos os trabalhos e pelo alimento espiritual que proporcionou aos presentes, no templo de pouso de Reverendíssima Hilda Roxo.

Continue reading

Cerimônia de São Jorge – 23, 24 e 25/04/2016

23 de abril. Início da cerimônia em homenagem a São Jorge neste ano. Apesar de ser uma cerimônia anual, em São Jorge, cada ocasião é diferente das anteriores. E cada ocasião traz uma energia especial, que renova e fortifica  espiritualmente quem dela se banha. Em 2016, a cerimônia de São Jorge teve ainda mais brilho, pois nela aconteceram dois batizados, a bênção de um casamento e uma homenagem ao Iluminado Ogum Megê. Tudo sob a proteção e a magnitude de Estrela D’Alva.

Continue reading

Uma visita às origens

O irmão de Brasília Augusto Hosanna Assis de Oliveira esteve na China. E nos trouxe preciosidades.
Ele visitou o Templo de Hua Tuo, nosso Mestre Wandú e também esteve na casa onde o curador chinês nasceu. Segundo ele, há no local uma energia muito forte. Passo aqui alguns trechos do seu “diário de bordo”. No primeiro, ele relata a religiosidade da população:
Primeira coisa importante:
Os chineses costumam passar o primeiro dia do ano orando e meditando dentro dos templos para que tenham um bom ano.
Nós conseguimos passar o primeiro dia do ano dentro do templo de SS.Wandú orando e meditando. Apesar de não ter recebido nenhuma oração específica da IEED, fizemos a oração de SS. Wandu e todas as kabalas sacerdotais e pontos necessários à fixação do nosso trabalho no Oriente.
Passamos a virada do ano novo chinês, do ano do coelho para o do dragão. Que, segundo eles, é o ano mais próspero em todos os sentidos,. É também o ano da fertilidade, o ano em que todas as famílias querem ter seus bebês.
A visita à casa onde o Mestre nasceu é quase uma epifania.

A cidade de sua santidade Wandú é um vilarejo para os chineses (2 milhões de habitantes) e para eles é um vilarejo. Uma planície belíssima cheia de plantações de arroz, casas de barro e pau a pique, muita sujeira e pouco desenvolvimento.

O centro da cidade já é mais desenvolvido e o templo fica dentro deste centro, num local que funciona como museu, templo e jardim ao mesmo tempo. Agora o mais importante de tudo, é que por uma ironia do destino, as forças nos encaminharam de alguma maneira para um outro lugar um pouco mais afastado, no meio de um vilarejo com estrada de terra em meio a muita plantação de arroz que era nada mas nada menos do que a casa onde SS. Wandu nasceu.

Só de escrever agora fico todo arrepiado de lembrar do local. Uma energia muito maior até do que a do templo dedicado a ele.

Essa cidade é o centro onde se desenvolveu a medicina na china, onde os médicos alternativos e acupunturistas vão estudar, buscar ervas específicas para tratamentos diversos.

Mariane

Na volta de um anjo a sua morada, Deus convocou o sol a celebrar a liberdade

A Solenidade de Oxóssi dava os seus primeiros acordes. Ela chegara com a mãe e a irmã e, sentada numa cadeira, era saudada pelos caciques e curada pelos pajés do Espaço. Mal sabiam os terrenos o que o templo e seus Guias já enxergavam: aquela era a última vez. Em si mesmo, Mata Virgem pensou: “Ela está se desligando da Terra”.

Volto vinte anos no tempo, em que ainda era Mocidade. Vivi toda a adolescência com os pés fincados firmes naquela estrutura espiritual. Lembro-me de que Mariane falava como se o mundo fosse acabar. Era a repórter da TV que amava a Xuxa e os New Kids. Brincava e imaginava como se, tal qual o Menino Maluquinho de Ziraldo, nunca mais conseguisse segurar a vida.

Teve com o tempo uma relação ao mesmo tempo cordial e conflituosa. O senhor das horas não permitiu que ela crescesse e, assim, experimentasse as más astúcias da vida madura. Alma valente que era, suportou por três décadas a mais dura das missões. Aprisionada numa veste declinante dotada de mente errante.

E então a doce criança confirma a profecia dos Guias e sem sobressaltos se vai. Ainda que vez por outra perdesse a calma, deixou pela estrada um caminho florido pela mais pura inocência. Não à toa, na despedida havia flores e uma sinfonia de pássaros. Eram os anjos celebrando a volta de um dos seus.

É claro que a dor despertou latente. Porque Cenira foi obrigada a ver a filha partir. Porque Cristiane teve de equilibrar-se entre a lágrima e a necessidade de virar alicerce de tal transição. Mas, se não a pôde amenizar, a vida transformou a tristeza em beleza. Porque uma existência foi, a seu jeito, amada. E, a seu jeito, também amou.

Não é mais daquele jeito. Seu verdadeiro eu enfim se mostrou: uma linda mulher de cabelo cacheado, vestido cor de rosa e sorriso iluminado. O pai, de tão forte ligação, a levou pelos braços. Mariane nunca foi deste mundo. E agora finalmente vai viver.

Vai com Deus, menina.

Reis simboliza o fim do Natal

 

São Sebastião, ao fundo, dá os primeiros passos do Ano Lunar

O dia dedicado aos Reis Magos pontifica o fim dos festejos natalinos. Mistérios da história antiga, conta-se que eram três e seguiram uma estrela que os levaria ao rei dos judeus. Chamados de Baltazar, Melchior e Gaspar, eram seguidores do zoroastrismo, que, tal qual as crenças ocidentais, acreditam na vinda de um “messias”.

Os Reis teriam encontrado o rei Herodes – aquele que, de acordo com o evangelho de Mateus, conhecedor das escrituras que prenunciavam o rei, já temia o tal Messias. Teria pedido a eles que lhe ensinasse o caminho da criança para A adorar. Mas, alertados pelos céus, voltaram ao Oriente por outro caminho.

Um programa-documentário chamado “Detetives do passado” perseguiu a história desses vultos. Descobriu que seus restos mortais dão a dica de que se trata de três homens de diferentes faixas etárias: um homem em idade avançada, um homem adulto e um jovem. Pelo Ensinamento IEED, Baltazar, talvez o velho, personaliza Wandú e traz o ouro, representante do Sol, que reverencia a grandiosidade espiritual de Jesus.

Melchior, o adulto, é Wantuil e presenteia com a mirra. Usada pelos egípcios como embalsamadora em rituais de mumificação, representa a libertação do espírito de suas mazelas terrenas. Gaspar, o jovem, trazia o incenso, que simboliza purificação da matéria para a sua ligação com o Superior.

Na primeira cerimônia de 2012, dedicada a Mestre Wandú, os sacerdotes agradeceram por ter vencido as adversidades da vida. “Agradeço a todas as vezes em que ela me disse ‘não'” disse Livia de Campos Benedicto, que em 6 de janeiro completou 33 anos e prestou emocionada homenagem à mãe, Arlete Aparecida Jesuíno de Campos. O Irmão Maçon-mor Cesar Alexandre Paglarin comemorou a unificação e o comprometimento dos integrantes da Maçonaria Oriental Wanduísta, que completava 60 anos.

Nos momentos finais, Wen Chen, uma das esposas de Wandú, recebeu os agradecimentos e celebrou o amor. O presépio partiu levando os pedidos e deixando as esperanças.

 

Nossa relação com Deus

O amigo Marco Antônio Hellmeister Fonseca, sacerdote desta IEED, mandou-me por e-mail uma mensagem interessante.

O texto é atribuído ao holandês Baruch Spinoza, pensador muito influenciado pelo racionalismo de Renè Descartes.

Se há controvérsias quanto ao autor, vale a pena refletir acerca do conteúdo. É importante termos uma visão ampla de espiritualidade e destino.

Leia e tire suas conclusões:

“Pára de ficar rezando e batendo no peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro!

Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro.

Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.

E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste… Do que mais gostaste? O que aprendeste?

Pára de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?

Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?… Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações?

Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro… aí é que estou, batendo em ti”.

Older posts
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE