nasc-jesus

O Natal é a data religiosa mais conhecida e celebrada da cultura ocidental, mas é presente em diversas religiões originárias de várias partes do mundo. Apesar de às vezes ser deixado em segundo plano por algumas pessoas, o real significado do Natal é único nas crenças que o adotam: a comemoração do nascimento de Jesus Cristo. Partindo desse significado, o Natal traz uma simbologia enorme, pois comemora a vida.

Para comemorar a vida, o Natal suscita sentimentos imprescindíveis para a prosperidade da mesma, como a caridade, a união, a fraternidade e o amor ao próximo. Tratam-se de valores que, em conjunto, elevam nossa energia positiva e nos fazem ficar mais ligados aos propósitos reais de nossa existência no plano terreno. São sentimentos que nos fazem perceber que nossa vida é muito mais gratificante  e significativa do que podemos imaginar. Mas, infelizmente, de uma forma geral, com as dificuldades que o plano terreno nos traz, nem sempre conseguimos fazer com que esses valores lembrados na época natalina perdurem por muito tempo. Assim, não é incomum vermos, em alguns casos, no decorrer do tempo, o amor ao próximo diminuir e o individualismo tomar conta de nossas atitudes. É nesses casos que o real significado do Natal começa a se perder…

Daí, vem a importância de fazermos de cada Natal não apenas uma época de bons sentimentos e energias, mas um aprendizado contínuo e praticável de como podemos dar valor à vida e contribuirmos para nossa evolução espiritual nas diversas situações que enfrentamos no dia a dia, independentemente da época do ano. Só assim crescemos como seres providos de espíritos.

A Umbanda praticada na IEED nos ensina que a Caridade e a Fé são meios para encaminharmos nossos defeitos em prol do desenvolvimento espiritual, e talvez o Natal seja uma ótima oportunidade para refletirmos sobre a vida e avaliarmos se estamos desempenhando nossa Caridade e Fé da forma adequada.

O presépio de Natal

Representação simbólica do nascimento de Cristo, o presépio de Natal foi montado pela primeira vez por Francisco de Assis no Natal de 1223. O frade católico elaborou o presépio na floresta de Greccio (na região do Lácio, na Itália). Sua ideia era mostrar às pessoas mais simples o significado e como foi o nascimento do Messias.

No século XVIII, a tradição de montar o presépio dentro das casas das famílias se popularizou pela Europa e, logo em seguida, por outras regiões do mundo. Atualmente, o presépio ainda constitui um dos principais símbolos do Natal e de seu real significado, além de ser uma expressão da Fé das pessoas.

presepio

A Árvore de Natal

Outro popular símbolo natalino, a Árvore de Natal tem origem incerta, já que não há registros documentados sobre seu real surgimento. Uma das versões mais conhecidas defende que o monge alemão Martinho Lutero, no Século XVI, estava caminhando pela floresta próxima à sua moradia na véspera do Natal, quando olhou para o céu e se encantou com a beleza das estrelas brilhando intensamente por entre os galhos das árvores, repletos de neve.  Ele acreditava que aquela visão era um sinal de que Jesus estava deixando o céu e descendo à terra para estar próximo a seus filhos no Natal. Então, para reproduzir e bela cena que tinha presenciado, Lutero cortou com seu machado um pinheiro da floresta, o levou para sua casa e o enfeitou com velas – simbolizando a vida -, dando origem à primeira Árvore de Natal.

Alguns historiadores dizem que a popularização da tradição da árvore de Natal se deu mais intensamente na década de 1840, quando os membros da realeza inglesa, a Rainha Victoria e o Príncipe Albert, foram ilustrados no jornal de Londres com seus filhos em torno de uma Árvore de Natal. Victoria era muito popular com seus súditos, e o que foi feito na côrte imediatamente tornou-se moda, não só na Grã-Bretanha, mas em todos os países de língua inglesa, se espalhando depois para outras partes do mundo.

arvore-de-natal

O Papai Noel

Segundo estudiosos, a figura fictícia do “bom velhinho” foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 D.C. O bispo, bastante generoso, costumava anonimamente ajudar pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximos às chaminés de suas casas.

Nicolau foi transformado em santo pela Igreja Católica (e virou São Nicolau) após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele. A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha, por causa da caridade que o santo praticava, e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo.

papai-noel

O Natal está bem próximo, e com ele chega o momento em que nossos corações ficam repletos de bons sentimentos. Cabe a nós aproveitarmos isso para refletirmos sobre nossas atitudes e buscarmos nos tornar seres humanos cada vez melhores, sempre celebrando a vida, a fé e a caridade.

Principais fontes: Mundo Estranho, Mega Curioso e Sua Pesquisa