Celebrada no dia 20 de janeiro – como acontece anualmente – na sede da IEED-SP, a cerimônia de Oxossi foi a primeira grande cerimônia de 2017.

Tendo como função principal trabalhar a saúde das pessoas, a cerimônia de Oxossi tem íntima ligação com as forças da natureza, e por isso leva ao templo uma decoração especial – baseada em galhos e folhas de eucaliptos – para que os trabalhos ocorram. Além disso, nesse dia, os membros da Escola IEED prestam seus serviços com roupas em homenagem às vestes típicas de índios, caracterizando o elo da força de Oxossi com a natureza.

No sincretismo, Oxossi representa São Sebastião. Sobre essa representação, o texto lido pelo Rev. César Paglarin no início da cerimônia traz uma explanação bastante clara: “São Sebastião, que ao deixar a vida terrena foi pregado a uma árvore, ficou com sua força ligada ao reino vegetal, formando a linha que, na Umbanda, tem o nome de Oxossi, que são manifestações espirituais intimamente ligadas à Mata. É através da força da natureza, em junção com os astros, que São Sebastião procura dar às criaturas a necessária calma, preparando o físico e a mente, afastando os obstáculos que dificultam a ascensão espiritual.” Ainda segundo o texto, as pessoas que comparecem à cerimônia devem estar “limpas de coração e alma, vigiando seus defeitos e fortalecendo a mente, para que a força homenageada possa ajudá-las”.

{ © 2016 IEED SP - Proibido uso}

{ © 2016 IEED SP – Proibido uso}

Após a descrição do significado de Oxossi, o Iluminado Mata Virgem fez-se presente por meio do Diretor Espiritual Rev. Sérgio Rangel e, antes de dar início aos trabalhos daquela noite especial, saudou a todos: “Que vocês possam, neste ano, ser protegidos”; e ainda aconselhou que, durante a realização dos trabalhos, as pessoas fossem pedindo pelo poder da cura.

Em seguida, Iluminado Mata Virgem explicou brevemente sobre a relação entre a doença e a vida espiritual: “A doença não é uma coisa física, geralmente é uma cobrança. O órgão está ligado a alguma dívida, algum erro. (…) Essa é a hora de evitar as doenças. Como? Procurando ter uma vida em equilíbrio, mantendo práticas positivas, mantendo uma vida voltada para o bem”. Ele ainda citou o enfarte para exemplificar sua afirmação: “O enfarte vem da depravação, do desequilíbrio. Pega o coração. (…) Se você não tem uma vida em equilíbrio, as forças da terra que você está desrespeitando vão cobrar”.

Ainda antes dos trabalhos com as entidades, foi solicitado que a Assistente Sandra Paglarin ficasse ao lado do Iluminado Mata Virgem para ler uma pesquisa que ela havia feito a pedido do Iluminado Ogum Megê em cerimônias anteriores, a respeito dos índios Tupi Guarani. Sandra fez um relato pleno sobre a nação indígena em questão, abordando sua origem, cultura, religião, arte típica e modo de vida.

{ © 2016 IEED SP - Proibido uso}

{ © 2016 IEED SP – Proibido uso}

Agradecido pelo que ouviu, Iluminado Mata Virgem fez suas considerações ao público, afirmando que ainda existem algumas tribos indígenas que mantêm “a pureza, a essência, o encontro com a natureza”. A entidade ainda complementou: “Que a força dos Tupi Guarani alimente vocês nessa noite”!

A sequência do programa contou com a Rev. Abigail Godas lendo um texto, também a pedido do Iluminado Ogum Megê em ocasiões anteriores, sobre a nação indígena dos Nhambiquaras. Após a leitura, o Iluminado Mata Virgem, mais uma vez satisfeito com o que ouviu, fez questão de falar sobre o tema: “Quando você encontra uma força dessas, você tem a oportunidade de tê-la perto de você. As características dessas nações são de uma importância enorme para a ligação do homem com a natureza.”

Assim, os preparativos para a continuação da cerimônia foram concluídos, e os trabalhos espirituais puderam ser realizados sob o comando do Iluminado Mata Virgem, com a maestria e a beleza que Oxossi merece.

Salve à força de Oxossi. Salve à força da Mata.

Confira algumas fotos da cerimônia: