África, em busca das origens

Relato do Aspirante Gustavo Torres sobre a peregrinação da IEED na África em 2019.


Peregrinação é uma manifestação ativa de Espiritualidade, um culto. É uma jornada realizada por um devoto a um lugar sagrado. Peregrinando sobre a Terra, neste mundo tão passageiro, tão transitório, é que cada um se prepara melhor para a escala do espirito.


Na IEED as peregrinações, segundo o Iluminado Oxóssi Pena Dourada, têm sido muito úteis para gerar excedentes espirituais principalmente no âmbito Sacerdotal (Produção Sacerdotal) por meio do silencio e das práticas de concentrações diárias. Enfatiza o Iluminado que esta modalidade de trabalho espiritual é na realidade uma oportunidade de saída da zona de conforto e da segurança que os muros e paredes de nossos templos e capelas nos oferecem, para que os peregrinos se lancem ao desconhecido para ver, sentir e experimentar novos horizontes, belezas e culturas, buscando a libertação e o reconhecimento e valorização da Doutrina IEED. Em 2019, ano em que celebramos 50 anos die fixação da Cerimonia em homenagem a S.S. Kimbaô, o trabalho foi desenvolvido no Continente Africano especialmente no Quênia e na África do Sul por 16 peregrinos.


O objetivo este ano era realizar trabalhos junto às Forças Primitivas - Origem - Génese e os Reinos da Natureza com ênfase no Reino Animal para encaminhamento de inferioridades e desembrutecimento da parte física e psíquica do Homem.


As dimensões do trabalho ditadas pelo Espaço eram:


  • Primitividade e Evolução Genética, Cultura e Sociedade.

O homem ficou em pé e caminhou pela primeira vez na África Evolução da primeira pegada do homem até a pegada do homem na lua, que completou 50 anos durante a peregrinação.


  • Força Animal

Observação do comportamento animal e reflexão sobre os instintos básicos do ser humano: sobrevivência, perpetuação da espécie, crescimento ou expansão de territórios e relações, capacidade de reflexão e criatividade à luz dos ensinamentos IEED.


  • Contemplação dos santuários naturais africanos (fauna e flora), diferentes ecossistemas.


Humildade, virtude que consiste em conhecer as suas próprias limitações e fraquezas e agir de acordo com essa consciência. É apresentar-se diante das Forças Supremas como verdadeiramente é.


  • Libertação

Conexão com o trabalho de abstinência realizado durante a Semana Santa.




Além destas dimensões, diversos trabalhos foram realizados entre os dias 14 e 23 de julho de 2019, entre eles se destacam a visita à tribo Massai onde trocamos presentes e vibrações espirituais com um dos povos mais antigos do planeta tema, que ainda preservam boa parte de suas tradições milenares. Eles cantaram e dançaram para nós e nós retribuímos, inclusive entoando, a pedido dos chefes da tribo, o Hino Nacional Brasileiro. Também impressionou visualizar a grande migração anual dos animais no Quênia.


Na Cidade do Cabo, África do Sul a emoção ficou por conta das belezas naturais, a energia da montanha da mesa onde o Missionário Reverendíssima Maly Hilda foi reverenciado por suas lutas e dores sofridas para evolução espiritual dos IEEDs.


No Cabo da Boa Esperança, entregamos ao Mar as tormentas que atrapalham nossa caminhada e pedimos que nossas vidas se convertam, pela graça de S.S. Deusa Lunar em um harmônico oceano de Boa Esperança, edificando um marco referencial de nossas Virtudes. No cabo das Agulhas, extremo Sul do continente, pedimos passagem a S.S. Maly, à quem este ano foi consagrado no primeiro minuto de 1º de Janeiro de 2019, fixação da Força da Pureza e do Amor e que da junção do Oceano Atlântico com o Oceano Índico, fossem reunidos os produtos positivos e separadas as vibrações negativas.


85 visualizações1 comentário