IEED Rumo ao Norte

Relato de fé, sobre a Visita ao Santuário Basílica de Nossa Senhora de Nazaré


Praia do Paraíso/Ilha do Mosqueiro

A Espiritualidade é um chamado ao nosso coração, é uma Força que nos leva ao AMOR, não só por nós, por nossos familiares e por amigos, mas um AMOR maior, o AMOR por quem não conhecemos, o AMOR pelo OUTRO.


Em nome desse sentimento tão nobre, saímos das nossas casas para o trabalho de Espiritualidade Deslocada em Belém do Pará, a Visita ao Santuário Basílica de Nossa Senhora de Nazaré e recolher os trabalhos realizados durante a Pandemia do COVID 19.


No mês de maio desse ano atípico, o Iluminado Oxóssi Pena Dourada determinou que as mulheres de nossa Irmandade confeccionassem artisticamente rosas, preferencialmente brancas, que seriam um ponto de apoio para o Mês de Maria. Esta orientação foi revelada no Momento Oremos, transmitido pelo Canal do YouTube da Irmandade Espiritual Estrela D'Alva. Assim foi feito! Nós, germinativas, tivemos essa oportunidade de expressarmos, por meio da arte, todos os sentimentos que vibravam naquele mês tão difícil, em que a Pandemia deixava a todos perplexos, com tantas pessoas adoecendo, tantas mortes, tantas incertezas, tanta dor. Meses depois, recebi a grata notícia que um grupo iria a Belém do Pará fazer o recolhimento desse trabalho. Imediatamente, pensei: eu vou! E aqui estou, relatando para vocês a emoção do dever cumprido e de, mais uma vez, seguir o Iluminado Oxóssi Pena Dourada, uma oportunidade ímpar de crescimento e elevação espiritual.


IEEDs no aeroporto de Belém.

No aeroporto, na concentração, pedindo passagem e bençãos às Forças Supremas, a emoção vibrava em todos nós e já dava sinais do que seria essa missão de amor. Quando chegamos ao hotel, após as acomodações necessárias, nos reunimos para rezar o terço e pedimos VIBRAÇÕES DE VITALIZAÇÃO para todos, os que nos acompanharam virtualmente, os IEED, enfim, pedimos pela humanidade. Foi um momento mágico de conexão com as Forças de Nossa Senhora de Nazaré, por meio de S.S. Deusa Lunar.



No dia seguinte, nos encaminhamos para a Ilha do Mosqueiro, onde junto à Força do Rio tivemos a oportunidade de nos banharmos em suas águas e recolhermos as influências negativas que nos envolveram, nesse fatídico ano, junto às Forças da Ciência e da Medicina. Na sequência, o IOPD chamou cada um de nós, a mim Ele ordenou:


"vai minha filha, entra no rio e não esquece de ninguém"


Tive a oportunidade de desimpregnar meu corpo físico, representando todos da nossa querida Irmandade, toda a nossa ancestralidade, entregando as dores, os miasmas, as impurezas cármicas para serem recolhidas pelo mar, pedindo passagem ao passado e rogando por evolução. A emoção foi muita e nas lágrimas que teimavam em rolar foram expressas a Força do Rio e seu poder de encaminhamento. Hosanas à Natureza Rio! Na parte da noite, retornamos à beira do rio e terminamos o trabalho das Rosas, mais uma vez, a natureza veio nos saudar e o céu que estava todo encoberto, no início dos trabalhos, se abriu em um véu de estrelas, reforçando o que já sabíamos, o Espaço estava ali em toda sua plenitude, olhando por nós.


Na terça-feira, foi o dia da realização dos nossos trabalhos no Rio Guajará, braço integrante da bacia do Rio Amazonas, a maior do nosso Planeta, e Ponto de Forças da Natureza Rio. Assistimos a um show de danças típicas da região: Carimbó, Folia de Bragança e Lundu, manifestações folclóricas e musicais de origem local criadas a partir dos costumes indígenas somados aos batuques dos escravos vindos da África e com influência também da cultura portuguesa onde observamos a harmonia dos movimentos dos corpos dos dançarinos, a música, o ritmo, a cadência agradável daquele casal. Foi um lindo espetáculo! Nosso objetivo foi observar o pôr-do-sol e saudar àquele momento acenando com lenços brancos e pedir conexão com a Aula Regente desse ano, em busca de forças para dominarmos nosso relaxamento nos campos físico, psíquico e mental. Mais uma vez, objetivo alcançado!

Apresentação folclórica no barco sobre o Rio Guajará

Por fim, a hora tão esperada, fazer os trabalhos no Santuário Basílica Nossa Senhora de Nazaré, local onde suplicamos conexão com S.S. Deusa Lunar e também com S.S. Kimbaô para que por meio de suas árvores conseguíssemos o domínio aos desejos, à vontade, às pulsões primitivas e rogamos por alimento espiritual. Sentamos próximos ao altar de Nossa Senhora e com uma dezena de pérolas nas mãos rezamos trinta e três Ave Marias, concentrados nos poderes dos Magos da Sabedoria e seus colares pedimos que nossas orações gerassem reforços para todas as famílias. Todos muito emocionados, enfileirados na lateral da Basílica, saudamos aquele momento com nossos lenços brancos. Na suntuosa Basílica deixamos o trabalho das rosas e rosas naturais colocadas no altar de Nossa Senhora do Brasil. Um momento inesquecível e uma sensação de cumprimento ao solicitado pelo Espaço!

Entrega das rosas no altar de Nossa Senhora do Brasil

No último mês de janeiro, fui acometida por pensamentos de perdas, sempre quando me deitava para dormir eles vinham. Era um medo de faltar meus pais, meus filhos, todo dia esse sentimento estava ali me atormentando. Penso que já era uma vibração do que foi esse ano, com tantas partidas, famílias velando seus entes queridos à distância, amigos se despedindo de amigos e, hoje, após a experiência das orações diárias no Momento Oremos, após esse lindo trabalho em Belém do Pará, percebo que o temor é infundado porque o Deus maior, o nosso Mestre, sabe de tudo, parece um jargão, mas não é, Ele está aí nos mostrando que está no controle e que esse tempo é necessário. Só nos resta ter CALMA E PACIÊNCIA.


Sigamos na FÉ!


Aspirante Dedicada a SS Chuny Rachel Silva Gutterres





106 visualizações0 comentário